Calendário 2013

A CBF confirmou hoje o calendário das competições nacionais para o ano que vem. Felizmente, foi confirmada a Copa do Brasil alongada, agora com a presença dos clubes que disputam a Libertadores. Infelizmente, devido à Copa das Confederações, o Brasileirão ficará espremido.

Menor a cada ano, a principal competição do calendário durará apenas cinco meses e meio. Em breve, durará os quatro meses e meio que durava antes da adoção dos pontos corridos, e aí não fará mais sentido algum utilizar esta fórmula. O certame começa dia 26 de maio (nunca foi tão tarde), para em 9 de junho e volta de 7 de julho a 8 de dezembro. Os estaduais, claro, permanecem inchadíssimos. Durarão quatro meses, com suas intermináveis 23 datas. Um atraso, perpetuado temporada por temporada.

Estaduais: 20/01 a 19/05
Copa Libertadores: 23/01 a 22/05 e 03 a 24/07
Copa do Brasil: 03/04 a 22/05 e 03/07 a 27/11
Copa das Confederações: 15 a 30/06
Campeonato Brasileiro: 26/05 a 09/06 e 07/07 a 08/12
Série B: 25/05 a 11/06 e 07/07 a 30/11
Série C: 02 a 09/06 e 07/07 a 24/11
Série D: 02 a 09/06 e 07/07 a 20/10
Copa Sul-Americana: 14 a 28/08 e 23/10 a 11/12
Mundial Interclubes: 11 a 21/12

Comentários

André Kruse disse…
Eu imaginava que, com a Copa do Brasil espalhada pelo ano inteiro, o Brasileirão começaria antes.
Luiz Paulo Telo disse…
Quando a gente acha que vai melhorar... Sempre tem um aspecto que atrasa!

Enquanto os clubes não se unirem, nunca teremos um calendário decente.

Estadual é piada.
Chico disse…
O fernandão escondeu tanto o time que está até agora procurando.
Anônimo disse…
Eu ia dizer que os clubes deveriam mandar os reservas para jogar os estaduais, mas de que adianta isso se vão comprimir 38 datas em 5 meses e meio?

Ano que vem os times vão precisar ter no mínimo uns 30 jogadores no elenco, pois é certo que vão perder gente por lesões sem tempo hábil de recuperação. E com isso os improvisos nos times vão aumentando, e a qualidade dos jogos caindo.

É como o Luiz disse acima: enquanto os clubes continuarem aceitando isso sem se unir, não haverá mudança para melhor. O que se ganha de um lado logo é perdido no outro, em campeonatos cada vez mais longos e deficitários.

Tiago