A um passo do título

O jogo que encaminhou o título brasileiro para o Flamengo foi o de Goiânia. Sempre ficou claro que o time que terminasse o domingo à frente muito provavelmente se sagraria campeão brasileiro uma semana depois. E o São Paulo era quem dependia de si para chegar nesta situação. Dominou o começo de jogo e depois parou. Começou a rodada líder e termina ela em quarto lugar. Coisas de um campeonato maluco, que chega com quatro candidatos ao título separados por apenas dois pontinhos em sua rodada fatal.

Até porque o restante ocorreu dentro do esperado. O Internacional conseguiu sua primeira virada na Ilha do Retiro, num primeiro tempo problemático e num segundo tempo de pressão até saírem os gols. Mais uma vez, a saída de D'Alessandro foi determinante para a vitória - visto que, além de não jogar bem, cedeu lugar ao autor do gol decisivo, Andrezinho. O Inter está na Libertadores, mas complica-se na medida que o Flamengo derrotou o Corinthians por 2 a 0 e está dois pontos à frente, com toda a questão que envolve a rivalidade Gre-Nal borbulhando de uma forma completamente inusitada.

Flamengo, aliás, que assume a liderança pela primeira vez justamente hoje. Se for o campeão, e deverá ser mesmo, será o primeiro nos últimos anos que ganha o título mais por individualidades brilhantes que pelo conjunto forte - algo que não acontecia desde o Corinthians de 2005. Mas não que não tenha elenco: jogou sem Adriano e mesmo assim venceu o time paulista, que não teve forças para reagir - seja pelas duas substituições no primeiro tempo, pelas expulsões de Mano Menezes e Chicão, pelo pênalti discutível marcado no finzinho ou até pela rivalidade alvinegra com o São Paulo.

Entraremos agora numa semana curiosa, onde todo o tipo de conjectura será efetuado. O Grêmio não tem mais interesse no campeonato. Já ajudou o Inter tirando pontos de rivais diretos nas últimas rodadas, mas nada indica que deverá fazer o mesmo agora. Não entrará para perder, não vai fazer gols contra de propósito, não será um Viana x Chapadinha. Mas jogadores podem receber férias antecipadas, a torcida já pede para que o time perca, e os dirigentes se dizem sensíveis ao que pede a massa que apoia o clube. Entrará, sim, desmobilizado. Mas tiraria pontos do Flamengo se entrasse com força máxima, a valer? O Internacional já ganhou do Santo André, que ainda luta para não cair? São duas perguntas que também devem ser feitas.

O Grêmio, acertadamente, tenta tirar a pressão de seus ombros. Afinal, nada mais tem a fazer no campeonato. O que todos os outros tentam é fazer justamente o contrário: impor-lhe a pressão. E, parando para pensar, não é pouco: de um lado, perdendo, poderia ser-lhe imputada a mancha da derrota proposital, dependendo de como ela venha; de outro, tirar pontos do Flamengo e ajudar o rival a ganhar o título seria contrariar a própria torcida. Nenhum dos responsáveis, dirigentes ou jogadores, seria poupado pelos torcedores, que vivem a rivalidade intensamente no dia-a-dia. E é por esta pressão extrema, interna, que descreio que o Grêmio vá jogar a morrer no Maracanã. Jogará desmotivado, ou ao menos não tão firme como o Flamengo entrará. Não entrará com o propósito claro de perder. Mas certamente (e naturalmente) com menos entusiasmo para tentar o resultado assim que uma eventual derrota comece a se concretizar. Dificilmente terá forças ou as buscará para iniciar uma reação, por exemplo. E convenhamos que isto está longe de ser algo inédito no futebol mundial.

A rivalidade extrema pode até incentivar um clube a ser maior que o outro, a superar o rival, e a aumentar o rol de títulos de ambos os lados. Mas, por outro, também pode diminuir ambos.

Rebaixamento
Três times dependem apenas de si próprios para escapar. Coritiba e Botafogo precisam vencer; o Fluminense se salva com empate. O Santo André só com vitória e derrota do Coxa ou do Fogão. O Atlético-PR escapou derrotando um Botafogo apático e que novamente habita a zona da degola. Os cariocas farão com o Palmeiras um dos jogos mais dramáticos da última rodada. Mas Coritiba x Fluminense é o jogo mais eletrizante, mesmo que os dois possam escapar com fracasso botafoguense.

Grêmio 4 x 2 Barueri
Primeiro tempo avassalador, como foi durante o campeonato inteiro no Olímpico. Goleada construída através de uma nova afirmação do esquema proposto por Marcelo Rospide, que deixa três meias (Souza, Maylson e Douglas Costa) servindo Maxi López a todo instante. O argentino nunca esteve isolado, mesmo sendo o único atacante do 4-5-1. Teve grande atuação, participou dos melhores movimentos de ataque e ainda anotou o seu gol no fim.

Após o intervalo entrou Tcheco, festejado por todos (bem como Luiz Carlos Goiano, treinador adversário). Douglas Costa e Souza foram abraçá-lo após marcarem seus gols, e de forma merecida. Quase anotou de calcanhar aquele que seria seu mais bonito gol em quatro anos de Olímpico, justamente em seu último jogo com a camisa tricolor. Mas o segundo tempo gremista foi de um time apático, com resultado garantido, o que contrastava com o apetite de Val Baiano por brigar pela artilharia. O principal de tudo, porém, é o extraordinário fato de o Grêmio terminar o ano invicto dentro do Estádio Olímpico, sendo o único mandante na era dos pontos corridos a atingir tal feito, algo que nem o espetacular Cruzeiro de 2003 conseguiu.

Foto: Petkovic e Zé Roberto comemoram: sexto título nacional virá com vitória simples sobre o Grêmio (Gazeta Press).

Comentários

Felipe disse…
Parabéns ao Flamengo pelo título. Acho que vira o primeiro tempo com 5x0 sobre os azuis e no segundo, já comemorando o título, faz só mais 1, completando o 6x0.

Quanto ao Inter, rumo ao Bi-Mundial FIFA em 2010!
luís felipe disse…
acho que é justo o Grêmio dar férias ao grupo titular, afinal, o clube deve dedicar-se inteiramente à final da Copa Sul-Americana que disputa na quarta.
André Kruse disse…
A semana será de pouco memória, muita hipocrisia e sofismas de sobra

Mas, por outro, também pode diminuir ambos.

Me parece que é o caso. Mas também não há como se exigir outra conduta do Grêmio, 2008 ainda está muito vivo na torcida.

Nessa provocação barata do Kenny braga/Guerrinha/Piffero, tem muita gente esquecendo que um empate no Maracana também serve pro inter. E o Grêmio empatou com Cruzeiro e Palmeiras (mas não imagino que isso aconteça)
Vicente Fonseca disse…
Já ganhei minha semana ao ouvir Zé Victor Castiel falando em "Grêmio campeão do mundo" e "imortalidade tricolor".
zeh nascimento disse…
como eu sou um cara de contra-cultura e campeonatos alternativos, nesse momento eu só penso nos desgraçados do BOTAFOGO, que além de ajudar o flamengo a ganhar o campeonato (provavelmente), ainda vão fazer o famoso TOUR pelo nordeste em 2010, na segundona...
Vicente Fonseca disse…
Se o Botafogo ganhar, escapa. Ou seja, ajudar o Flamengo é o preço para continuar na Série A.
luís felipe disse…
2008 ainda está muito vivo na torcida.

tá certo. A luta pelo título da Sul-Americana de 2009 vai impedir o Grêmio de usar força máxima no Maracanã. Isso todos sabemos.

só não esqueçam que o futebol é imprevisível...vai lá Roberson, aos 45 do segundo tempo...

porque não um WO, hein? Seria mais digno.
natusch disse…
Corrigindo: Santo André precisa que Botafogo E Coritiba percam seus jogos, afinal, precisa tirar duas posições para fugir do lamaçal. Resultados simples servem - o saldo do Coritiba no momento é o mesmo (-12) e o time paulista tem uma vitória a mais que o Botafogo. Ou seja, noves fora a diferença técnica dos times, engana-se quem acha que o Santo André vem para Porto Alegre a passeio.

Só a paixão clubística ou o desconhecimento da rivalidade GRE-nal justificam alguém querer que o Grêmio jogue a morrer contra o Flamengo. Mais do que desinteresse no jogo, há o claro desinteresse do Grêmio em ganhar ou mesmo empatar a partida - placares que não servem em termos de tabela e que ainda favorecem o maior de todos os rivais. Entregar o jogo certamente não vai - mas não fará esforço algum para vencer, o que é muito diferente. E que sim, é EXATAMENTE o que o Inter fez contra o São Paulo o ano passado, quando também estava no seu direito de colocar reservas em campo. Para ambos, é um constrangimento: o Grêmio jogando para ajudar o rival, e o Inter torcendo para o Grêmio ganhar. Será uma semana curiosa, sem dúvida - mas, de qualquer modo, só uma tragédia tipo Maracanazo tira o título do Flamengo, porque será aí sim um caso deles perderem para si mesmos. Para o Grêmio, duvido muito.
André Kruse disse…
já temos um sofisma aqui
luís felipe disse…
Natusch, considerando a história recente do Inter, o Santo André morto seria muito mais perigoso que o Santo André a passeio.
luís felipe disse…
tsc. Que o Santo André jogando para não cair.
natusch disse…
Isso será RECORRENTE: a confusão (intencional ou não) entre ENTREGAR o jogo e jogar sem INTERESSE na vitória. Entregar para mim é vergonha, e duvido muito que aconteça. Agora, ficarei muito surpreso se o Grêmio entrar comendo grama, com sangue nos olhos, lutando para vencer como se fosse final de campeonato. Simplesmente porque não tem interesse nenhum em vencer - e quem cobra esse interesse do Grêmio só pode ser colorado, ignorante ou maluco. Simples assim.
natusch disse…
(O comentário acima não implica em qualquer tipo de cutucada no Luis Felipe, pessoa que sei muitíssimo bem não ser afeita a nenhum tipo de desonestidade intelectual. Só para frisar, reli aqui e achei que podia ser mal interpretado)
luís felipe disse…
cara, eu estou só pela piada.

essa entregada em potencial do Grêmio renderá piadas infinitas até domingo.
zeh souza lópez nascimento disse…
TRANQUILO, TRANQUILO.

DEIXA COM NÓS.
Prestes disse…
"será o primeiro nos últimos anos que ganha o título mais por individualidades brilhantes que pelo conjunto forte"

Discordo. O Flamengo passou a vencer justamente quandoi passou a ser mais que individualidade e criou um conjunto forte.
Vicente Fonseca disse…
Acho o Flamengo o time mais bem treinado do País, Prestes. O trabalho do Andrade é ótimo e de fato, quando a equipe ganhou conjunto passaram a brilhar os melhores jogadores.

Me referi muito mais ao fato de o time não ter o melhor elenco do Brasil, não é o que tem mais opções qualificadas. Mas é o que tem Adriano e Petkovic, dois dos melhores jogadores em atividade por aqui.
Prestes disse…
Acho o time titular deles muito bom.

Bruno, Léo Moura, Angelim, Alvaro e Juan são todos bons jogadores. Willans, Maldonado excelentes. Pet e Adriano fora-de-série.

O que eles têm pouco, realmente, é banco.
Prestes disse…
Embora alguns jogadores tenham crescido muito com o Andrade, especialmente o Toró e o Fierro.
Vicente Fonseca disse…
Sim, e isso é algo que se repetiu nos últimos anos na Gávea. Times bons, elencos sem tantas opções. Mas o Andrade deu cara de time a esse onze, um time que sabe se defender e aproveita os dois craques que tem com muita eficiência. Por isso entendo que o Flamengo ganha mais pelas individualidades que pelo elenco. Mas é um time muito certinho, de muito conjunto. Do jeito que coloquei anteriormente ficou dúbio mesmo.
Lique disse…
os colorados parecem esquecer que o inter perdeu de 4 a 0 do flamengo no maracanã esse ano. e no beira rio, apenas 0x0. o grêmio já ganhou de 4 a 1 do mengo no olimpico, já foi ajuda suficiente pro inter. chega dessa palhaçada, o inter devia ficar quietinho e engulir que perderam o campeonato nos seus próprios jogos. mesmo que quisesse, o grêmio não conseguiria ganhar do flamengo nno maracanã. por que se desgastam falando bobagens?

"Fernando Carvalho cogita possível punição ao Grêmio, caso haja entregada"

"Alecsandro rebate declaração de Souza: 'Entregar jogo não é digno de homem'"

o grêmio 2009 não precisa entregar o jogo pra perder no maraca.
Vicente Fonseca disse…
Há muitos episódios que também podem ser lembrados, Lique. Derrotas do Flamengo em casa, Grêmio calando estádios lotados, "entregadas", escalação de reservas em rodadas finais...
luís felipe disse…
eu não tenho dúvida que o STJD vai aproveitar o episódio para aparecer.
Vicente Fonseca disse…
Ah, é bem possível mesmo, Luís. O STJD só existe de outubro em diante.
Lourenço disse…
Impressão minha ou o Luís, por trás da flauta, está transtornado? Hehehe

Por trás da aparente situação confortável para o Grêmio, há um grande constrangimento para todos. Ninguém, por mais que faça piada ou se aproveite da situação, gostaria de passar por isso.
Vicente Fonseca disse…
E agora há a mudança total de discurso da direção - obviamente falsa, já que Faraon desvendou tudo ontem na Churrascaria Santo Antônio.

Em vez de só amorcegar a semana inteira, falam em entregar antes pra depois falar em vitória domingo. Tudo errado, como sempre tem sido as entrevistas dos dirigentes gremistas em 2009.

Silas acertado. Sua entrevista deixa claro que será anunciado dia 6. Boa.
felipesfranke disse…
Nao sei pq tanta algazarra, nao ha mais misterio ALGUM quanto ao termino do campeonato...

RJ em chamas com Flamengo, Fluminense e Vasco. Só pode ser efeito 2016.

VdP: "desseq", forma imperativa, exalada em forma de murmúrio, do verbo "dessecar", inventado pelos colorados nessa na noite do domigo.
luís felipe disse…
eu não tenho nenhuma preocupação com o final do campeonato.

quer dizer, até tenho: espero que não incendeiem carros no bar da frente da minha casa.
Vine disse…
"Mas, por outro, também pode diminuir ambos.

Me parece que é o caso. Mas também não há como se exigir outra conduta do Grêmio, 2008 ainda está muito vivo na torcida."

É por isso que essa "rivalidade" no futebol virou a guerra que é. Um bando de infelizes secam, entram com times reserva, entregam jogo, etc, e um bando de mais infelizes se sentem injustiçados e buscam vingança. Pelo futebol nós vemos como o ser humano é miserável mesmo...

Simplesmente não consigo entender essa secação. É muita fraqueza de espírito.

Mas enfim, como acredito que o Inter amoleceu contra o São Paulo ano passado, deixem que o Grêmio se nivele entregando o jogo. Todos quites, prontos para parar com essa bobagem.
Vicente Fonseca disse…
Comentário genial do Fipa, sem mais.

Vine, acho que a rivalidade aqui extrapola um pouco. Mas é difícil remar contra a maré. Qual a primeira coisa que fazemos quando nosso time ganha? É chegar na janela e gritar para que o rival ouça, tirando sarro - antes mesmo de comemorarmos o nosso próprio feito. Outros tantos (não é meu caso, particularmente) gostam mais da desgraça do outro que da sua própria glória. Se aqui levássemos mais a coisa na brincadeira, certamente a semana seria um pouco mais leve. Poderia tirar a graça? Talvez. É claro que em qualquer lugar do mundo haveria a discussão sobre entregar ou não: o Gimnasia já prejudicou o Estudiantes outras vezes, por exemplo. Mas acho que a gente precisa fazer a mea-culpa e se levar um pouco menos a sério, ainda mais no futebol. Jogadores correndo o risco de serem hostilizados pela própria torcida, dirigentes ameaçando o clube de ser eliminado do futebol... Tudo isso é muito chato e lamentável.
vine disse…
Pois é, mostra como somos miseráveis.

O engraçado, no caso particular da dupla Gre-Nal, é que na hora de comemorar o 20 de setembro ou bradar o orgulho da nossa terra todos são iguais. Isso podia até ser usado pela direção colorada para mobilização...