Reviravolta nos miolos

Confirmei esta semana aquilo que já suspeitava há tempos: só morarei em São Paulo caso um dia surja uma proposta salarial absurdamente vantajosa. De fato, não é o tipo de cidade que combina com meu estilo mais tranquilo e sossegado. Entretanto, achei extremamente válidas as pouco mais de 48 horas em que lá estive. E recomendo a todos que um dia façam uma viagem à maior cidade do País- até porque é difícil que algum brasileiro nunca precise ir para lá uma vez na vida que seja.

E digo isso porque São Paulo é uma cidade que faz um giro de 180º no cérebro de qualquer um. A noção de tempo, de espaço, de movimento, de transtornos, de possibilidades e de tantas outras coisas é absolutamente diferente de tudo. Tudo é imenso. Igor Natusch, que me fez companhia em duas excelentes e agradabilíssimas jantas ao lado da grande amiga Pati Benvenuti, disse-me que o local do hotel onde fiquei era "alcançável" de ônibus, não tão longe em termos paulistanos, portanto. Levou, em média, uma hora para chegar. Em Porto Alegre, trata-se de um dos trajetos mais longos possíveis. O hotel, aliás, ficava numa região bastante movimentada da cidade, com um cheiro inconfundível de Banco Imobiliário: Brigadeiro Faria Lima esquina Rebouças.

Isso me faz entender, finalmente, porque o Morumbi é um estádio que recebe pouco público em muitos jogos do São Paulo - e isto é alvo constante de crítica nossa aqui, em Porto Alegre. O fato é que o estádio é longe de tudo (e longe mesmo, paulistanamente falando), não há transporte coletivo que deixe as pessoas perto dali e o ingresso é caro. Tudo dificulta.

Recomendo também que visitem o Museu do Futebol, um local bastante agradável não apenas para quem gosta do jogo. A região do Pacaembu, aliás, achei a mais bonita da cidade: arborizada, com belas casas, tranquilidade, poucos carros passando. Nem parecia que estávamos em São Paulo. O estádio é igualmente simpático. Ainda que, por dentro, fique devendo bastantes para os nossos dois maiores aqui em Porto Alegre.

Combinação
O que mais vi lá foram corintianos. Depois, são-paulinos. Palmeirense, apenas um. E não estou falando de camisetas na rua. Falo de contato pessoal mesmo. Com os corintianos, defini o rumo do Brasileirão: "nossos times entregam para o Flamengo, e São Paulo e Inter, assim, perdem o campeonato. Fechado?". Nenhum deixou de assinar o "acordo".

Foto: Rebouças esquina Faria Lima: troco pela Companhia de Táxi Aéreo (Vicente Fonseca).

Comentários

Marcelo disse…
Bá, eu trabalho naquele prédio à esquerda da foto.
Vicente Fonseca disse…
Bah, foi justamente o prédio que eu e Natusch comentamos que mal dá pra enxergar o fim dele quando se está na calçada, de tão alto. Quantos andares, Marcelo?
Milton Ribeiro disse…
Sempre gostei de SP, Vicente. Adoro as opções da cidade e até os paulistas. Mas a gente tem de adaptar nossa noção de tempo.

Morar lá?

Nem morto!!!
Milton Ribeiro disse…
Se que ficas um pouco chocado com isso, mas...

HOJE É DIA DE MANDAR O JUVENTUDE PARA A SÉRIE C !!!!!!!
Vicente Fonseca disse…
Milton, gostei bastante de visitar a cidade e até gostaria de voltar um dia para conhecer melhor. Mas é como tu disse, morar são outros 500. Os paulistas, no trato pessoal, sempre me foram muito simpáticos. Tive esta impressão quando fui ao ABC ano passado e só reforcei tudo esse ano.

O sadismo de vocês com relação ao Juventude é assustador. Achei que os 8 a 1 tinham acabado com a história, mas pelo jeito não. hsdhsh

Abraço!
Prestes disse…
Bah, Banco Imobiliário!!!

Maior passatempo, depois do War e do futebol de botão!
Vicente Fonseca disse…
Na saída do Museu do Futebol, Natusch e eu nos inspiramos nos times de botão que lá estavam à venda e iniciamos o embrião de um futuro campeonato de botão. Vamos desenvolver esta ideia, mas tem que ser PANELINHA, que é pra ter gosto de primeira infância.

Meu Bahia do início dos '90 era imbatível!
Prestes disse…
Eu tinha um time dos Camarões que era um CANO.
augusto. disse…
ainda guardo meu Maestros FC. O escrete tem Bach no gol, Mozart com a 10, Strauss na zaga e Beethoven - que nunca escuta o técnico - com a 9.
Little Potato disse…
Adriano Gabiru - Cada vez mais eterno.

Respeitem o homem, ele tem uma missão a cumprir.
Milton Ribeiro disse…
Gabiru -- EL VINGADOR !!!
Felipe disse…
"Com os corintianos, defini o rumo do Brasileirão (...) Nenhum deixou de assinar o acordo"

São duas torcidinhas mesmo! Rsrsrsrsrs...
hfanti disse…
só moraria em sp pra ganhar mais de 5 mil LIMPOS. heh. (sou modesto)

pacaembu é massa e dá pra chegar de metrô tranquilinho.
Vicente Fonseca disse…
e Beethoven - que nunca escuta o técnico -

hsdhsdsdhsdhds
Ver o amigo foi uma alegria do tamanho de São Paulo :)
Vicente Fonseca disse…
Igualmente, minha cara!